Pular para o conteúdo principal

Os mini-PCs que vão simplificar as instalações de mídia digital OOH

Citei mini-PCs recentemente, com a percepção que seus preços ainda não estão totalmente atrativos a fim de impactar significativamente no aumento da adoção aos sistemas de mídia digital ooh. No entanto, há diversos movimentos indicando que podemos não estar assim tão distantes e que até o final de 2009 já estaremos nessa realidade.

O lançamento do Intel Atom trouxe uma arquitetura com as seguintes importantes características para nossos projetos:

- desempenho para execução de vídeos com qualidade de DVD ou até 720p (com restrições de codecs)
- baixo consumo de energia e geração de calor
- compatível com placas no padrão mini-itx (17x17cm)
- o armazenamento de dados pode ser feito tanto em Hard Disk como em memória flash ou SD.
- baixo custo (estão quase lá..)

Traduzindo:

É possível utilizar essa plataforma para a maioria das aplicações, desde acoplar atrás de uma tela devido a seu tamanho reduzido, até um equipamento para mídia embarcada como ônibus e trens.

A pouca geração de calor elimina peças móveis e pouco confiáveis como ventoinhas e o PC suporta melhor nossas condições climáticas. A utilização de memórias do tipo flash permite suportar melhor a vibração do que os HDs convencionais.

Vale ressaltar que muito do sucesso dessa combinação depende de um envólucro ou gabinete adequado para aplicação. Por exemplo, uma aplicação para acoplamento a uma tela teria adaptadores no padrão VESA. Em mídia embarcada diversos outros fatores como proteção magnética, anti-vandalismo, maior ventilação, entre outras.

A restrição atual é se precisar executar mais de um canal (nesse caso vai precisar de outro equipamento), ou se a intenção for executar full HD (1080p). O chipset gráfico da Intel atende bem, mas em alguns testes que fiz com o pessoal da Ya Mogu, foram detectadas limitações no driver para exibir video no formato wmv e conseguimos bons resultados em 720p com Xvid e Divx. H.264 exigiu praticamente todo o processador e não se compatibilizou. Ou seja, o chipset é bom com restrições...

No Brasil algumas empresas montam mini-PCs específicos para Digital Signage e seu valor varia em torno de R$1000-3000 por unidade dependendo do volume e características da montagem. A Droid foi uma das pioneiras. Bem anterior ao lançamento do Atom já tinham plataformas miniaturizadas que colocaram a prova em uma das maiores redes de mídia digital OOH em operação no Brasil.

A Cortex foi provavelmente a primeira empresa exclusivamente de hardware que depositou considerável investimento e pesquisa ao mercado, com uma linha de produtos dedicada para mídia digital OOH, atendendo toda a variedade de aplicações discutidas acima.

A Samsung tem sua linha de monitores profissionais LFD com PC embutido, que apesar de não permitir ser desacoplado, atinge perfeitamente os objetivos almejados. A instalação fica muito simplificada sem precisar ter um PC separado de tela com seus requerimentos de espaço e cabeamento. É sem dúvida o primeiro monitor profissional com PC acoplado disponível diretamente no mercado brasileiro e com uma equipe local dedicada ao assunto.

Vale notar que tenho visto algumas instalações tanto no Brasil quanto no exterior utilizando o Asus EEE PC e todos parecem bem felizes com a escolha.

A novidade na foto acima é de quarta-feira, quando a Nvidia lançou um chipset gráfico compatível com o Intel Atom que deve resolver com boa parte dessas limitações sobre qualidade de exibição e estabilidade, permitindo exibir tranquilamente vídeo em HD. Originalmente foi elaborado para atingir mercados como o de Home Theatrer ou jogos por empresas como Acer e Asus, mas vai servir perfeitamente aos propósitos da mídia digital OOH. A idéia é que seu custo fique, em breve, abaixo dos $200 (EUA) sem o sistema operacional ou com Linux. A licença do Windows, quando uma versão "business" for instalada, vai acabar custando tanto quanto o brinquedo.

Meu interesse no assunto diz respeito ao fato de que os valores dos PCs vem diminuindo ao longo dos últimos 2-3 anos, mas que ainda é um grande fator para muitas empresas se preparando para iniciar ou expandir suas instalações. A medida que esses lançamentos cumpram suas promessas, podemos estar removendo mais uma barreira.

O plano B para algumas empresas tem sido o de utilizar Set-top-box como um dispositivo de playback. Normalmente esses equipamentos são de baixo custo e confiáveis, mas são relativamente limitados e difíceis de se programar. Essa nova onda será com plataformas x86 convencionais de PC, significando que terão bem menos restrições.

Bom final de semana!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Festa nas Empresas de Tecnologia Publicitária (AdTech)! A Nova Década Será Marcada por Privacidade e Liderança da Mídia Exterior!

(Créditos foto inc.com)
31 de dezembro de 2019 marcou o final de uma década e de uma era na publicidade digital.
Presenciamos nesses anos passados o sucesso exponencial de tecnologias web para publicidade com base em cookies. A tecnologia permitiu a coleta de dados em massa e a criação de perfis baseados em comportamento e interesses para otimizar o direcionamento de conteúdo servido a cada usuário, mas através de métodos que ignoram sistematicamente a privacidade.
Segundo o Tecnoblog, cookies “são pequenas informações que os sites enviam aos navegadores dos usuários para guardar preferências e dados de login”. Enquanto que “cookies de terceiros” são “cookies que não foram enviados pelo site que você está acessando. Um exemplo clássico é o dos banners de publicidade: o código do anúncio normalmente fica hospedado em outro servidor e, além de exibir a propaganda, envia cookies para rastrear o usuário. Sabendo quais sites a pessoa visita com frequência, é possível descobrir seus interesse…

Digital out of Home a Primer: Marco na indústria DOOH e aproximação com métricas online.

Digital Out of Home a Primer - Seção 1 - Introdução e Fundamentos

Em abril do ano passado noticiamos a produção do DOOH Primer, documento elaborado pelas principais associações e entidades do setor de OOH nos Estados Unidos e nossa intenção em produzir uma versão em português do documento.

O documento consolida os entendimentos mais atualizados globalmente sobre mídia exterior e o Digital Out of Home. Um setor que está em franca transformação digital com aumento significativo de sua relevância como meio de comunicação.

Em resumidas palavras, o Primer é o documento indispensável para agências, compradores de mídia e operadores de rede que atuam no mercado DOOH.

Está disponível para download mediante cadastro simples:

https://www.brasooh.com.br/primer-dooh