Pular para o conteúdo principal

Projeto em farmácias com ROI entre 12-16 meses

A rede de farmácias belga V.Pharma instalou um sistema de digital signage em 45 de suas lojas na bélgica. Com três meses de operação, a rede comemora grande sucesso na comercialização de mídia, reportando vendas no valor de 90 mil euros e expectativa anual na faixa de 180 mil euros, somente com as 45 lojas.

Caso esses valores se confirmem, o retorno no investimento terá ocorrido entre 12-16 meses. Tipicamente, para a maioria dos projetos, um prazo de 18 meses é considerado muito bom.

O projeto é composto por 2 canais independentes de conteúdo. O primeiro é localizado na vitrine da loja, com mensagens de 7 segundos, almejando atrair o consumidor para dentro da loja com promoções. Um segundo canal dentro da loja reforça a mensagem publicitária e também o branding da marca com mensagens um pouco mais longas, mas mantendo o foco no aumento de vendas. São utilizadas telas LCD 32".

Segundo os poucos dados divulgados, as lojas que receberam o sistema tiveram um aumento de vendas de 22% nos ítens anunciados.

Um dos principais desafios foi justamente na capacidade de administrar a segmentação de conteúdo. A região tem 2 idiomas, com 2 canais = 4 playlists com uma pequena rede de somente 45 pontos. (Para operações ligeiramente maiores, uma tecnologia com automação de playlists já seria bem mais indicado, reduzindo sensivelmente o trabalho de agendamento de conteúdo).

É interessante destacar o modelo de negócios. O investimento no projeto foi realizado pela V.Pharma e executado pela empresa iDklic. A iDklic é responsável pela operação e também pela comercialização da mídia.

Tendo em vista o amadurecimento de nosso mercado nos últimos anos, espero ver mais desse modelo replicado aqui pelo Brasil. A expectativa da "corrida do ouro", do "pendurem as telas que os anunciantes virão", creio já passaram. Os benefícios para o varejista são evidentes - fidelização de clientes, modernização do visual das lojas, aumento nas vendas, melhor comunicação com público e funcionários..

Muitas vezes o varejista aceita a proposta de uma instalação grátis por um terceiro, e, como diz o velho ditado "se é grátis, é por que não tem valor". É importante ter o local hospedeiro do sistema engajado no projeto e preferencialmente compartilhando alguma parte ou a maioria do risco - se a mídia não vender, o varejista sempre é beneficiado com uma instalação de Digital Signage pelos benefícios citados acima. (ok, ok, sei que hoje ainda não é bem assim que funciona, mas esta aí um bom case para mostrar o sucesso).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Elemidia eleva o nível da discussão sobre métrica no Brasil

Ontem foi divulgado o resultado da auditoria da PricewaterhouseCoopers sobre o sistema de publicação da Elemídia . Esse é um importante passo não somente para a Elemidia como para toda a nossa indústria, ao elevar a discussão da métrica e confiabilidade dos sistemas de DOOH (Digital Out-of-Home). Ainda hoje algumas das principais empresas no segmento são sujeitas a fornecer "foto checking" ou outros métodos herdados de outros meios para comprovar a veiculação. Com a chancela de uma auditoria e toda a divulgação da Elemidia, elevamos a discussão junto aos anunciantes ao promover a credibilidade dos relatórios de exibição e torná-los o documento padrão . O efeito no médio-longo prazo será que os grandes compradores de mídia passarão a exigir esse nível de credibilidade de todos operadores de redes de mídia DOOH. Empresas como a Accent Health operam 12 mil clínicas no exterior. A Neo Advertising tem em torno de 150 mil telas na Europa e EUA. Imagine se houvesse a neces

Verifone compra operação de Taxis da Clearchannel

Destaque na 1a semana do ano foi a aquisição da operação de mídia em Taxis em New York da Clearchannel pela Verifone (NYSE:PAY). A gigante das transações eletrônicas abrange agora 90% dos taxis em NY, representando 300 mil viagens/dia. Ao final do ano passado a Verifone trouxe um executivo do segmento Digital-Out-of-Home, vindo da Danoo (incorporada em Julho pela RMG Networks ), para assumir o cargo de vice-presidente comercial de mídia para os EUA. O executivo passa a responder a Bulent Ozayaz, ex-gerente geral da operação de Wireless Business e relocado para o que eles chamam de "payment-enabled media", ou, buscando uma tradução para o portugûes, mídia em sistemas de pagamento online. Em resumo: - Termos financeiros da operação não foram revelados. - Segundo a Verifone: "Sistemas de conteúdo digital em Taxis estão posicionados para se tornarem um dos mais inovadores pontos de publicidade, a medida que gastos publicitários movem das mídias tradicionais para online

JCDecaux em Heathrow e as telas sequenciais

Recentemente escrevi a respeito da pesquisa EyeTracker realizada pela JCDecaux . Embasado nesses resultados, instalaram um projeto no Terminal 5 do aeroporto internacional de Londres (Heathrow) denominado "The Runway". O terminal é conhecido por ser praticamente um shopping de luxo, exibindo marcas como Prada, Bulgari e Tiffany . As 40 telas foram posicionadas no teto e colocadas na vertical. A inovação fica por conta das telas sequenciais, que segundo a pesquisa permite a melhor assimilação das mensagens. O conteúdo será vendido em campanhas de 2 semanas e voltadas para as marcas de luxo como moda, perfumes, joías, viagens de luxo entre outros. Segue o texto em inglês ( o termo saccadic diz respeito exatamente a essa forma de movimentação rápida dos olhos ): Eyetracker – sequential viewing research A key finding is that people on the move look around in a non-linear way, with their eyes flicking back and forth from the middle distance as they search for and are attr