Pular para o conteúdo principal

Projeto em farmácias com ROI entre 12-16 meses

A rede de farmácias belga V.Pharma instalou um sistema de digital signage em 45 de suas lojas na bélgica. Com três meses de operação, a rede comemora grande sucesso na comercialização de mídia, reportando vendas no valor de 90 mil euros e expectativa anual na faixa de 180 mil euros, somente com as 45 lojas.

Caso esses valores se confirmem, o retorno no investimento terá ocorrido entre 12-16 meses. Tipicamente, para a maioria dos projetos, um prazo de 18 meses é considerado muito bom.

O projeto é composto por 2 canais independentes de conteúdo. O primeiro é localizado na vitrine da loja, com mensagens de 7 segundos, almejando atrair o consumidor para dentro da loja com promoções. Um segundo canal dentro da loja reforça a mensagem publicitária e também o branding da marca com mensagens um pouco mais longas, mas mantendo o foco no aumento de vendas. São utilizadas telas LCD 32".

Segundo os poucos dados divulgados, as lojas que receberam o sistema tiveram um aumento de vendas de 22% nos ítens anunciados.

Um dos principais desafios foi justamente na capacidade de administrar a segmentação de conteúdo. A região tem 2 idiomas, com 2 canais = 4 playlists com uma pequena rede de somente 45 pontos. (Para operações ligeiramente maiores, uma tecnologia com automação de playlists já seria bem mais indicado, reduzindo sensivelmente o trabalho de agendamento de conteúdo).

É interessante destacar o modelo de negócios. O investimento no projeto foi realizado pela V.Pharma e executado pela empresa iDklic. A iDklic é responsável pela operação e também pela comercialização da mídia.

Tendo em vista o amadurecimento de nosso mercado nos últimos anos, espero ver mais desse modelo replicado aqui pelo Brasil. A expectativa da "corrida do ouro", do "pendurem as telas que os anunciantes virão", creio já passaram. Os benefícios para o varejista são evidentes - fidelização de clientes, modernização do visual das lojas, aumento nas vendas, melhor comunicação com público e funcionários..

Muitas vezes o varejista aceita a proposta de uma instalação grátis por um terceiro, e, como diz o velho ditado "se é grátis, é por que não tem valor". É importante ter o local hospedeiro do sistema engajado no projeto e preferencialmente compartilhando alguma parte ou a maioria do risco - se a mídia não vender, o varejista sempre é beneficiado com uma instalação de Digital Signage pelos benefícios citados acima. (ok, ok, sei que hoje ainda não é bem assim que funciona, mas esta aí um bom case para mostrar o sucesso).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos do sucesso dos Digital Menuboards

Por que todas as principais redes de alimentação, grandes ou pequenas, tem adotado os Digital Menuboards?  As tecnologias de Digital Signage  são um tempero certeiro no varejo da alimentação. Ver um cheeseburger perfeitamente preparado em uma TV nos fará salivar mesmo que estejamos no sofa de casa distante de um restaurante. Marketing e publicidade digitais tem a capacidade de potencializar o apelo de produtos e serviços. Apelo que ganha ainda mais força quando atuamos no ponto de venda onde o cliente toma sua decisão. Elementos visuais criam estímulos tão poderosos quanto os olfativos na sensação de fome de seus clientes. A lógica é simples: "Se sua comida se apresenta bonita, ela também deve ser saborosa." Redução de espera e agilidade nos pedidos. Seja em lanchonetes, fast-food ou restaurantes gourmet, sempre há momentos de espera. No caso das lanchonetes e fast foods essa espera ocorre na área das filas e onde se conta visualmente com o digital menuboard, enquan

Elemidia eleva o nível da discussão sobre métrica no Brasil

Ontem foi divulgado o resultado da auditoria da PricewaterhouseCoopers sobre o sistema de publicação da Elemídia . Esse é um importante passo não somente para a Elemidia como para toda a nossa indústria, ao elevar a discussão da métrica e confiabilidade dos sistemas de DOOH (Digital Out-of-Home). Ainda hoje algumas das principais empresas no segmento são sujeitas a fornecer "foto checking" ou outros métodos herdados de outros meios para comprovar a veiculação. Com a chancela de uma auditoria e toda a divulgação da Elemidia, elevamos a discussão junto aos anunciantes ao promover a credibilidade dos relatórios de exibição e torná-los o documento padrão . O efeito no médio-longo prazo será que os grandes compradores de mídia passarão a exigir esse nível de credibilidade de todos operadores de redes de mídia DOOH. Empresas como a Accent Health operam 12 mil clínicas no exterior. A Neo Advertising tem em torno de 150 mil telas na Europa e EUA. Imagine se houvesse a neces

JCDecaux em Heathrow e as telas sequenciais

Recentemente escrevi a respeito da pesquisa EyeTracker realizada pela JCDecaux . Embasado nesses resultados, instalaram um projeto no Terminal 5 do aeroporto internacional de Londres (Heathrow) denominado "The Runway". O terminal é conhecido por ser praticamente um shopping de luxo, exibindo marcas como Prada, Bulgari e Tiffany . As 40 telas foram posicionadas no teto e colocadas na vertical. A inovação fica por conta das telas sequenciais, que segundo a pesquisa permite a melhor assimilação das mensagens. O conteúdo será vendido em campanhas de 2 semanas e voltadas para as marcas de luxo como moda, perfumes, joías, viagens de luxo entre outros. Segue o texto em inglês ( o termo saccadic diz respeito exatamente a essa forma de movimentação rápida dos olhos ): Eyetracker – sequential viewing research A key finding is that people on the move look around in a non-linear way, with their eyes flicking back and forth from the middle distance as they search for and are attr