Pular para o conteúdo principal

Projeto em farmácias com ROI entre 12-16 meses

A rede de farmácias belga V.Pharma instalou um sistema de digital signage em 45 de suas lojas na bélgica. Com três meses de operação, a rede comemora grande sucesso na comercialização de mídia, reportando vendas no valor de 90 mil euros e expectativa anual na faixa de 180 mil euros, somente com as 45 lojas.

Caso esses valores se confirmem, o retorno no investimento terá ocorrido entre 12-16 meses. Tipicamente, para a maioria dos projetos, um prazo de 18 meses é considerado muito bom.

O projeto é composto por 2 canais independentes de conteúdo. O primeiro é localizado na vitrine da loja, com mensagens de 7 segundos, almejando atrair o consumidor para dentro da loja com promoções. Um segundo canal dentro da loja reforça a mensagem publicitária e também o branding da marca com mensagens um pouco mais longas, mas mantendo o foco no aumento de vendas. São utilizadas telas LCD 32".

Segundo os poucos dados divulgados, as lojas que receberam o sistema tiveram um aumento de vendas de 22% nos ítens anunciados.

Um dos principais desafios foi justamente na capacidade de administrar a segmentação de conteúdo. A região tem 2 idiomas, com 2 canais = 4 playlists com uma pequena rede de somente 45 pontos. (Para operações ligeiramente maiores, uma tecnologia com automação de playlists já seria bem mais indicado, reduzindo sensivelmente o trabalho de agendamento de conteúdo).

É interessante destacar o modelo de negócios. O investimento no projeto foi realizado pela V.Pharma e executado pela empresa iDklic. A iDklic é responsável pela operação e também pela comercialização da mídia.

Tendo em vista o amadurecimento de nosso mercado nos últimos anos, espero ver mais desse modelo replicado aqui pelo Brasil. A expectativa da "corrida do ouro", do "pendurem as telas que os anunciantes virão", creio já passaram. Os benefícios para o varejista são evidentes - fidelização de clientes, modernização do visual das lojas, aumento nas vendas, melhor comunicação com público e funcionários..

Muitas vezes o varejista aceita a proposta de uma instalação grátis por um terceiro, e, como diz o velho ditado "se é grátis, é por que não tem valor". É importante ter o local hospedeiro do sistema engajado no projeto e preferencialmente compartilhando alguma parte ou a maioria do risco - se a mídia não vender, o varejista sempre é beneficiado com uma instalação de Digital Signage pelos benefícios citados acima. (ok, ok, sei que hoje ainda não é bem assim que funciona, mas esta aí um bom case para mostrar o sucesso).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos do sucesso dos Digital Menuboards

Por que todas as principais redes de alimentação, grandes ou pequenas, tem adotado os Digital Menuboards?  As tecnologias de Digital Signage  são um tempero certeiro no varejo da alimentação. Ver um cheeseburger perfeitamente preparado em uma TV nos fará salivar mesmo que estejamos no sofa de casa distante de um restaurante. Marketing e publicidade digitais tem a capacidade de potencializar o apelo de produtos e serviços. Apelo que ganha ainda mais força quando atuamos no ponto de venda onde o cliente toma sua decisão. Elementos visuais criam estímulos tão poderosos quanto os olfativos na sensação de fome de seus clientes. A lógica é simples: "Se sua comida se apresenta bonita, ela também deve ser saborosa." Redução de espera e agilidade nos pedidos. Seja em lanchonetes, fast-food ou restaurantes gourmet, sempre há momentos de espera. No caso das lanchonetes e fast foods essa espera ocorre na área das filas e onde se conta visualmente com o digital menuboard, enquan

Fim de Festa nas Empresas de Tecnologia Publicitária (AdTech)! A Nova Década Será Marcada por Privacidade e Liderança da Mídia Exterior!

(Créditos foto inc.com) 31 de dezembro de 2019 marcou o final de uma década e de uma era na publicidade digital. Presenciamos nesses anos passados o sucesso exponencial de tecnologias web para publicidade com base em cookies. A tecnologia permitiu a coleta de dados em massa e a criação de perfis baseados em comportamento e interesses para otimizar o direcionamento de conteúdo servido a cada usuário, mas através de métodos que ignoram sistematicamente a privacidade. Segundo o Tecnoblog , cookies “são pequenas informações que os sites enviam aos  navegadores  dos usuários para guardar preferências e dados de login”. Enquanto que “cookies de terceiros” são “cookies que não foram enviados pelo site que você está acessando. Um exemplo clássico é o dos banners de publicidade: o código do anúncio normalmente fica hospedado em outro servidor e, além de exibir a propaganda, envia cookies para rastrear o usuário. Sabendo quais sites a pessoa visita com frequência, é possível desco

Digital out of Home a Primer: Marco na indústria DOOH e aproximação com métricas online.

--> Lançado em final de Março de 2019, “Digital Out-of-Home - A Primer” é um documento compreensivo das melhores práticas do Digital Out-of-home, serve como o guia de referência mais atualizado já produzido por essa indústria para a comunidade publicitária. O documento foi uma colaboração entre as principais entidades norte americanas de Out-of-Home e o IAB, organização que estrutura e apoia na padronização da mídia na internet desde anúncios no Google ou mídia social. Ao avançar na sinergia com a IAB, é também um documento marco na direção de integrar a indústria do Digital Out of Home (DOOH) com a mídia online. Muitas dessas entidades são internacionalizadas e apontam a direção global da indústria, não necessariamente restringindo-se ao mercado Norte Americano. As credenciais abaixo atestam a importância da iniciativa: Digital Place-Based Advertising Association. Digital Signage Federation. Interactive Advertising Bureau. Geopa