Pular para o conteúdo principal

Novos relatórios sobre o mercado para 2009

Após alguns meses turbulentos na economia mundial, seria ótimo poder fechar o ano com alguns bons números para 2009.


Ouvi há algumas semanas na CBN sobre um relatório revisado para o consumo de mídia ao redor do mundo, preparado pela Zenith Optimidia. No que diz respeito ao Brasil, os números são extremamente positivos. Estará entre os 10 maiores mercados publicitários do planeta até 2010 e haverá alta de 30% no dinheiro investido em publicidade ao longo do próximo ano. Países como Rússia, Índia e China também verão altas expressivas, enquanto EUA assiste a uma queda de 6,2%.


Na atual conjuntura, só posso olhar criticamente para esses números e esperar que ao menos a tendência esteja correta. Vale lembrar que a Zenith Optimedia faz parte do grupo Publicis e seu relatório é dos mais respeitados no mundo.


Pouco depois, o Emerging Media Lab da gigante Interpublic identificou a mídia no PDV (in-store media) como uma tendência emergente chave a ser acompanhada em 2009.


Eis uma breve tradução do que achei no MediaPost:


"As marcas devem acompanhar o passo dos consumidores em cada estágio do diálogo (onde eles podem responder -- e não reagir), e formular uma estratégia de reputação na web que responda a todas oportunidades virais. Elas também devem desenvolver suas estratégias de conteúdo e outras estratégias abrangendo todas as plataformas: mobile, digital, out-of-home, broadcast, broadband ou mídia social.


Mesmo em meio a recessão, soluções interativas no varejo vão despontar em 2009, diz o IPG. Uma experiência online pontuado por sinalização inteligente, vidros interativos, programas de fidelidade e outras características que facilitem a habilidade de consumidores e marcas estarem conectados a web e entre si através de celulares".


No dia 22/12 recebi um estudo no mercado dos Estados Unidos indicando que consumidores estão mais receptivos a mídia digital out-of-home do que outros tipos de mídia.


Em resumo:


- Mais de 2/3 dos consumidores dizem que publicidade digital OOH chama a atenção

- A maioria diz que é menos perturbador (annoying) que anúncios na TV (51% disseram que anúncios perturbam na TV), radio (52%), internet (67%) ou revistas, contra 26% na mídia digital OOH.

- 36% dizem tomar algum tipo de ação em função de anúncios em mídia digital OOH (segundo SeeSaw Networks/OTX).

- O número acima sobe para 51% na faixa etária de 18-24

- Segundo o "Cinema Advertising Council" e a Arbitron, a publicidade digital OOH é um mercado de 1 bilhão de USD e em crescimento.

- Ficou em segundo lugar (48%) em relação a ser um bom passatempo (entertaining), atrás somente da televisão (56%).


Minha conclusão geral é que o mercado como um todo segue gradualmente revertendo seus investimentos para as mídias segmentadas. O motivo sendo a demanda crescente pelos consumidores por informações mais relevantes no momento e local certos. A mobilidade e um maior acesso a web e a informação em todas as camadas da população ao redor do mundo somente vão acentuar essa tendência.


Nosso mercado de digital OOH ainda está distante alguns anos de seu potencial pleno. No entanto, ao que tudo indica, os próximos dois anos devem ser de crescente realização para àqueles que vêm apostando nesse segmento. Algumas empresas do setor sobreviveram a expectativas excessivamente otimistas e dificuldades inesperadas nos últimos 5 anos. Muitas não seguiram e algumas poucas começam a se sobressair.


Em 2009 certamente veremos o melhor ano até agora para esse mercado seja no Brasil ou no mundo. Trunfo para àqueles que vêm acreditando e conseguiram um bom posicionamento em 2008.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Os segredos do sucesso dos Digital Menuboards

Por que todas as principais redes de alimentação, grandes ou pequenas, tem adotado os Digital Menuboards?  As tecnologias de Digital Signage  são um tempero certeiro no varejo da alimentação. Ver um cheeseburger perfeitamente preparado em uma TV nos fará salivar mesmo que estejamos no sofa de casa distante de um restaurante. Marketing e publicidade digitais tem a capacidade de potencializar o apelo de produtos e serviços. Apelo que ganha ainda mais força quando atuamos no ponto de venda onde o cliente toma sua decisão. Elementos visuais criam estímulos tão poderosos quanto os olfativos na sensação de fome de seus clientes. A lógica é simples: "Se sua comida se apresenta bonita, ela também deve ser saborosa." Redução de espera e agilidade nos pedidos. Seja em lanchonetes, fast-food ou restaurantes gourmet, sempre há momentos de espera. No caso das lanchonetes e fast foods essa espera ocorre na área das filas e onde se conta visualmente com o digital menuboard, enquan

Elemidia eleva o nível da discussão sobre métrica no Brasil

Ontem foi divulgado o resultado da auditoria da PricewaterhouseCoopers sobre o sistema de publicação da Elemídia . Esse é um importante passo não somente para a Elemidia como para toda a nossa indústria, ao elevar a discussão da métrica e confiabilidade dos sistemas de DOOH (Digital Out-of-Home). Ainda hoje algumas das principais empresas no segmento são sujeitas a fornecer "foto checking" ou outros métodos herdados de outros meios para comprovar a veiculação. Com a chancela de uma auditoria e toda a divulgação da Elemidia, elevamos a discussão junto aos anunciantes ao promover a credibilidade dos relatórios de exibição e torná-los o documento padrão . O efeito no médio-longo prazo será que os grandes compradores de mídia passarão a exigir esse nível de credibilidade de todos operadores de redes de mídia DOOH. Empresas como a Accent Health operam 12 mil clínicas no exterior. A Neo Advertising tem em torno de 150 mil telas na Europa e EUA. Imagine se houvesse a neces

JCDecaux em Heathrow e as telas sequenciais

Recentemente escrevi a respeito da pesquisa EyeTracker realizada pela JCDecaux . Embasado nesses resultados, instalaram um projeto no Terminal 5 do aeroporto internacional de Londres (Heathrow) denominado "The Runway". O terminal é conhecido por ser praticamente um shopping de luxo, exibindo marcas como Prada, Bulgari e Tiffany . As 40 telas foram posicionadas no teto e colocadas na vertical. A inovação fica por conta das telas sequenciais, que segundo a pesquisa permite a melhor assimilação das mensagens. O conteúdo será vendido em campanhas de 2 semanas e voltadas para as marcas de luxo como moda, perfumes, joías, viagens de luxo entre outros. Segue o texto em inglês ( o termo saccadic diz respeito exatamente a essa forma de movimentação rápida dos olhos ): Eyetracker – sequential viewing research A key finding is that people on the move look around in a non-linear way, with their eyes flicking back and forth from the middle distance as they search for and are attr