Pular para o conteúdo principal

7-Eleven, 6200 lojas de conveniência em 2010


Muito tem se falado essa semana sobre o contrato assinado entre a Digital Display Networks e a rede de lojas de conveniênvia 7-Eleven. Com 60 lojas instaladas atualmente e 6200 previstas até o final de 2010, vão impactar uma audiência de 190 milhões de pessoas, tornando-se, segundo o release a maior rede de Digital-out-of home dos EUA.

(Nota do autor, a empresa onde trabalho atualmente tem um projeto instalado em um cliente com 12 mil pontos nos EUA, a Accent Health, provavelmente a maior rede de DOOH nos EUA, em número de pontos instalados.)

Venho ouvindo falar sobre o projeto do 7-Eleven desde que comecei no Digital Signage. De lá para cá constatei que o segmento de lojas de conveniência é, ao menos no Brasil, consideravelmente mais desafiador do que o originalmente esperado. Nesse período vi uma rede iniciada em 2005 nas lojas da Ipiranga iniciar e falhar, e da mesma forma tenho alguns clientes, empresas sólidas em nosso mercado, que não tem encontrado facilidade em operar nesse segmento. Acredito que analisar a experiência internacional no passado possa nos trazer luz e realizar as dificuldades que a DDN vai ter que enfrentar..

Por volta de 1999-2001 uma das mais badaladas empresas de Digital Signage era a Next Generation Networks (NGN). A empresa levantou $96 milhões de USD$ no mercado e preparava-se para um IPO, até explodir junto com a bolha da internet.

A primeira iniciativa da 7-Eleven foi um contrato com a NGN nessa época. O acordo previa um pagamento mínimo de $3 milhões por ano e uma multa de $150 mil por loja se a NGN não atingisse as 4800 lojas instaladas no prazo estipulado na época (3-4 anos). Uma outra cláusula dava o direito ao 7-Eleven terminar o relacionamento com um aviso prévio de 30 dias caso essa marca não fosse atingida.

A NGN desembolsou milhões em multas e não conseguiu atingir as metas esperadas, somando aos custos elevados da operação. O mix de anunciantes nacionais vs regionais era bem menos compreendido do que hoje e a NGN falhou também em diversos aspectos de sua estratégia comercial. O que restou da empresa entre bens e tecnologia foi adquirido pela Regal Cinemedia, no entanto, não havia muito a ser aproveitado, a tecnologia proprietária também já se encontrava defasada pouco depois (ao contrário do que se imagina, desenvolver software para o segmento exige investimento contínuo e a um custo alto).

O 7-Eleven não investiu nada nesse contrato, tudo correu por conta da NGN. Atualmente, qualquer bom profissional do segmento sabe que o varejista tem que estar envolvido em alguma parte do risco para que o projeto tenha chances de sucesso. A parceria com a NGN foi totalmente unilateral.

Não tenho maiores detalhes sobre o acordo com a DDN, mas acredito que de maneira similar vão arcar com todo o investimento para o 7-Eleven TV. Se assim for, é bem provável que esse projeto venha a encerrar com outra startup no segmento.

Comentários

Unknown disse…
Belo Post Yuri! Abs Cadena
Anônimo disse…
Olá Yuri!Gostaria de saber se tem uma loja da 7-Eleven no [Brasil] São Paulo!

Postagens mais visitadas deste blog

Fim de Festa nas Empresas de Tecnologia Publicitária (AdTech)! A Nova Década Será Marcada por Privacidade e Liderança da Mídia Exterior!

(Créditos foto inc.com)
31 de dezembro de 2019 marcou o final de uma década e de uma era na publicidade digital.
Presenciamos nesses anos passados o sucesso exponencial de tecnologias web para publicidade com base em cookies. A tecnologia permitiu a coleta de dados em massa e a criação de perfis baseados em comportamento e interesses para otimizar o direcionamento de conteúdo servido a cada usuário, mas através de métodos que ignoram sistematicamente a privacidade.
Segundo o Tecnoblog, cookies “são pequenas informações que os sites enviam aos navegadores dos usuários para guardar preferências e dados de login”. Enquanto que “cookies de terceiros” são “cookies que não foram enviados pelo site que você está acessando. Um exemplo clássico é o dos banners de publicidade: o código do anúncio normalmente fica hospedado em outro servidor e, além de exibir a propaganda, envia cookies para rastrear o usuário. Sabendo quais sites a pessoa visita com frequência, é possível descobrir seus interesse…

Digital out of Home a Primer: Marco na indústria DOOH e aproximação com métricas online.

Digital Out of Home a Primer - Seção 1 - Introdução e Fundamentos

Em abril do ano passado noticiamos a produção do DOOH Primer, documento elaborado pelas principais associações e entidades do setor de OOH nos Estados Unidos e nossa intenção em produzir uma versão em português do documento.

O documento consolida os entendimentos mais atualizados globalmente sobre mídia exterior e o Digital Out of Home. Um setor que está em franca transformação digital com aumento significativo de sua relevância como meio de comunicação.

Em resumidas palavras, o Primer é o documento indispensável para agências, compradores de mídia e operadores de rede que atuam no mercado DOOH.

Está disponível para download mediante cadastro simples:

https://www.brasooh.com.br/primer-dooh